BLOG

ABSOLAR acredita que setor solar mostrará resiliência ao cenário econômico adverso

Embora as projeções iniciais de crescimento não devam ser concretizadas em função da pandemia, perspectiva ainda é de desempenho positivo em 2020

Por Ricardo Casarin

O mercado solar fotovoltaico brasileiro deverá novamente mostrar resiliência a um cenário econômico adverso, avalia a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR). Embora as projeções iniciais de crescimento do setor não devam ser concretizadas em função da pandemia de coronavírus, a perspectiva ainda é de desempenho positivo em 2020.

“O Brasil passou por uma crise grave entre o final de 2014 e 2016, acumulando uma queda de 8% no PIB. Nesse período, o mercado solar cresceu mais de 300%, se decolando da economia”, disse o presidente do Conselho de Administração da ABSOLAR, Ronaldo Koloszuk, durante uma transmissão ao vivo do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE).

Em 2015 e 2016, o PIB brasileiro apresentou queda de 3,8% e 3,6% respectivamente. Nos mesmos anos, o mercado solar teve incremento de 104% e 125%. Koloszuk destaca que um crescimento tão expressivo em 2020 não será possível em função das restrições para operações de instalação de equipamentos, mas ressalta que hoje o mercado possui recursos que não existiam no período anterior de crise. “Naquela época não havia linhas de financiamento, hoje temos diversas. Os juros também estão muito mais baixos atualmente.”

O dirigente destaca que a fonte poderá ter um papel importante num cenário pós-pandemia. “É um momento extraordinariamente negativo. Tudo travou um pouco e não seria diferente para o nosso setor. Mas essa tempestade vai passar e vamos seguir com nossos negócios. É um mercado de presente e de futuro. “Nesse momento em que vai haver muito desemprego, o setor de energia solar trará oportunidades. Ele produz empregos qualificados, bem remunerados e descentralizados. Além disso, gera economia para quem investe. O payback médio é de três a cinco anos, o custo de equipamentos caiu muito nos últimos anos, enquanto o custo da tarifa de energia é um dos mais caros do mundo. Tudo isso justifica o crescimento desse mercado, é uma questão econômica.”

Fonte: Portal Solar